terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Não mendigue amor.


Muito menos queira depender desse sentimento pra ver o que está ao seu redor, pra sentir o vento tocar em seu rosto ou a chuva levar suas mágoas. Não se entregue a algo que só você sente. Todos mentem, os escritores de romance, os editores de comerciais, os desenhistas de cartão. Ninguém deseja só dar amor. A verdade é que desejamos ser correspondidos, retornar ligações e rir das coisas em comum que temos, e notar que a maior entre todas elas é essa droga de sentimento que todos nós julgamos suficientemente capaz de permanecer vivo sem esforços. É mentira. A falta incomoda, corrói, machuca. E isso, é substimável? E essa solidão que você ainda sente aí é substimável? Dar amor nunca foi suficiente, os mais lendários romances só existem porque dois amaram, porque dois sentiram, porque dois se entregaram. Os solitários pertecem a outros tipos de histórias, aos dramas, às mórbidas pertubações de livros com longas páginas. Porque só amar… Bem meu amigo, só amar não esquenta sua cama, quando a noite chega.

Nenhum comentário:

Postar um comentário